Usina Hidrelétrica Paranapanema

A UHE Paranapanema teve as obras de sua barragem iniciadas em 1925 e na época era considerada uma usina de grande porte. Foi construída de forma a, ao longo do tempo, ter sua capacidade aumentada com o aproveitamento da vazão do rio Paranapanema.

Inicialmente contava com a casa de máquinas da margem direita, com três máquinas de 2,5 MW, que foi totalmente destruída na enchente de 1983.

A casa de máquinas da margem direita foi reconstruída entrando em operação em 1988 com 9,6 MW de capacidade.

A casa de máquinas da margem esquerda foi construída e entrou em operação em 1957, sendo ampliada em 1970 com a adição de uma das primeiras escada para peixes do país.


Em 1998 entrou em operação nova casa de máquinas na margem esquerda com 13,5 MW de capacidade, completando a instalação atual.

Reservatório
O Reservatório da usina Paranapanema abrange áreas urbanas e rurais do município de Piraju.
Sua localização propicia uma alternativa de laser pois se localiza em ponto central da cidade contando com calçadas em toda a sua extensão urbanizada.
O reservatório é comum as três casas de máquinas: Margem Direita, Margem Esquerda antiga e nova.

Barragem
A barragem foi construída em concreto, com contraforte e fundações em rochas basálticas de boa característica geotécnica.

Com comprimento de 140 metros e altura máxima de 16 metros, em sua crista foi implantada em uma ponte rodoviária.

No lado direito da barragem acha-se implantada a tomada d´água da casa de máquinas da margem direita, com as comportas de tomada d´água acessíveis a montante do barramento.

Ao lado da tomada d´água da casa de máquinas da margem direita encontram-se os vertedouros de superfície ocupando 60 metros da barragem e são secionados em 12 setores, sendo que em cada setor está instalada uma comporta basculante invertida para controle do nível do reservatório e da vazão do vertedouro.

Após o vertedouro mecanizado, temos um trecho de mais 30 metros com vertedouro de superfície livre em parede delgada.

Junto à ombreira esquerda da barragem se encontra a entrada do canal de adução das duas casas de máquinas da margem esquerda, que alimenta também a escada para peixes.

Na parte baixa da barragem temos os quatro descarregadores de fundo, com operação motorizada e as adufas, devidamente vedadas por concreto.

Instalações da Margem Direita:

Tomada D´água
A adução à turbina é feita a partir do controle das comportas da tomada d´água, que operam eletromecanicamente, preservando-se os componentes que alimentavam os condutos da antiga casa de força, destruída na enchente de 1983. Atualmente, os condutos em concreto protegido por chapas de aço carbono foram unificados e suprem a necessidade de vazão da máquina instalada.

Casa de Máquinas (Grupo Gerador 6)
Construída em concreto com fundações em rochas basálticas de excelentes qualidades geotécnicas, conta com um conjunto turbina-gerador tipo propeller de instalação vertical com 9,6 MW.

Canal de Fuga
O canal de fuga tem pequeno comprimento externo e foi escavado no mesmo tipo de rocha da casa de máquinas, sendo que um muro de concreto separa as águas turbinadas das vertidas pelas comportas do vertedouro.

Subestação
A subestação se encontra em nível superior a Tomada d´água, instalada ao lado da casa de máquinas, e conta com um tranformador elevador.

Instalações da Margem Esquerda:

Canal de Adução
O fluxo do canal de adução é realizado diretamente a partir do Reservatório a fio d´água, junto a inserção do compartimento superior da escada para peixes.
Sua construção em concreto exigiu a remoção de solos de alteração de rochas basálticas sendo mantido, em seu fundo, grande parte do solo rochoso original.
O canal tem 110 metros de extensão total e seção de 91 m². Apresenta uma bifurcação nas proximidades da casa de força da margem esquerda seguindo mais 20 metros até a cada de força da ampliação.

Escada para Peixes
Construído em concreto em harmonia com os afloramentos rochosos e a parede do canal de adução, conta com comporta de madeira tipo gaveta para regulagem manual da altura do último degrau, a fim de sempre manter uma vazão suficiente para a passagem dos peixes na piracema.
Na sua parte superior foi construído um mirante aberto a visitação pública, de onde se pode avistar toda a escada e a queda d´água do vertedouro.
O projeto da escada foi elaborado por especialistas para permitir que o maior número de peixes possível faça a subida do rio para desova no período da piracema, que vai de setembro a fevereiro.

Instalações dos Grupos Geradores 4 e 5:

Adução da Casa (Grupos Geradores 4 e 5)
O fluxo contínuo pelo canal alcança a Câmara de Carga, onde existem comportas para regulagem do fluxo aos condutos forçados, operadas eletromecanicamente.
Os condutos forçados em ferro fundido de pequena extensão alimentam as duas turbinas da casa de força.

Casa de Máquinas (Grupos Geradores 4 e 5)
Construída em concreto e alvenaria de tijolos conta com dois conjuntos turbina-gerador tipo propeller de instalação vertical com 4 MW cada um.

Canal de Fuga (Grupos Geradores 4 e 5)
O canal de fuga tem pequena extensão a partir dos porões da casa de força e foi escavado em rochas basálticas.

Subestação (Grupos Geradores 4 e 5)
A subestação se encontra em nível superior ao canal de adução e conta com transformadores elevadores individuais para ambos os geradores.

Instalações dos Grupos Geradores 7 e 8:

Adução da Casa (Grupos Geradores 7 e 8)
O fluxo contínuo pelo canal alcança a Câmara de Carga, onde existem comportas para regulagem do fluxo aos condutos forçados, operadas eletromecanicamente.
Os condutos forçados em aço carbono alimentam as duas turbinas da casa de força.

Casa de Máquinas (Grupos Geradores 7 e 8)
Construída em concreto conta com dois conjuntos turbina-gerador tipo kaplan tubular S de instalação horizontal com 6,75 MW cada um.

Canal de Fuga (Grupos Geradores 7 e 8)
O canal de fuga tem pequena extensão a partir dos porões da casa de força e foi escavado em rochas basálticas.

Subestação (Grupos Geradores 4 e 5)
A subestação se encontra ao lado da casa de máquinas e conta com transformadores elevadores individuais para ambos os geradores.

Dados Técnicos
Entrada em operação - barragem 1932; GG4 - 1957; GG5 - 1970; GG6 - 1988; GG7 e GG8 - 1999
Município - Piraju
Drenagem - Rio Paranapanema
Bacia Hidrográfica - Rio Paranapanema
Volume útil do reservatório - 2.990.000 m³
Área inundada - 1,494 km²
Potência Nominal - GG4 e GG5 - 4; GG6 - 9,6; GG7 e GG8 - 6,75 - total de 31,1 MW
Número de Unidades - cinco
Altura de queda - 16,8 metros
Turbina - Fabricante ; GG4 - Escher Wiss; GG5 Mecânica Pesada; GG6 - Voith; GG7 e GG8 - Alstom
- Tipo ; GG4, GG5 e GG6 - Propeller; GG7 e GG8 - Kaplan Tubular S
- Rotação; GG 4 e GG 56 - 257 rpm; GG6 - 180 rpm; GG7 e GG8 - 225 rpm
- Vazão turbinada; GG 4 e GG 5 - 35,5 m³/s; GG6 - 67 m³/s; GG 7 e GG 8 - 46,35 m³/s
Gerador - Fabricante; GG4 e GG5 - GE; GG6 - ABB; GG7 e GG8 - ABB
- Eixo: GG4, GG5 e GG6 - vertical; GG7 e GG8 - horizontal
- Frequência - 60 Hz
- Tensão - 2,3 kV

Voltar

Home | Usinas | Meio Ambiente | Compromissos | Balanço | Dados Geração | Contato
S a n t a   C r u z   G e r a ç ã o   d e   E n e r g i a   S . A .   -   P r a ç a   R a m o s   d e   A z e v e d o , 254   2º  a n d a r   p a r t e s